Pornô emocional

adult-beautiful-blur-1040159.jpg

estou intrigada em como a pornografia sexual recebe tantas atenções negativas por parte da comunidade cristã, enquanto o conceito de “pornografia emocional” nem passa pela mente das pessoas.

Recentemente, pediram a minha opinião sobre o famoso programa de TV The Bachelor. Se você não conhece esse programa, trata-se de um reality show que mostra um rapaz em sua tentativa de encontrar uma “donzela” para ser a sua noiva. Diante de um harém de mulheres selecionadas, ele passa a maior parte do programa seduzindo, beijando e criando laços emocionais com cada uma dessas garotas solteiras pensando se aquela que está com ele naquele momento será, então, o amor da sua vida (geralmente, ele faz essas ponderações com uma garota após ter beijado outra na noite anterior - isso sim que é amor verdadeiro, né?).

Sempre que perguntam a minha opinião sobre esse tipo de entretenimento - seja um livro ou um programa de televisão - minha resposta é tipicamente dada com duas palavras: pornô emocional.

Mas o que é pornô emocional? Bom, apesar de eu não querer, de nenhuma maneira, ser legalista sobre as coisas que nós “podemos” e “não podemos” assistir como cristãos, eu realmente acredito que há conceitos na ideia do pornô emocional que incomodam porque eles chegam no cerne de um problema mascarado e que tende a ser ignorado.

Para um melhor entendimento do que eu estou dizendo, vamos olhar primeiro ao conceito              de pornô sexual e seus efeitos negativos:

Pornografia sexual é tirar os atos sexuais de seus contextos apropriados e aplicá-los de maneiras não realistas a fim de satisfazer um prazer egoísta. Tem a ver com fazer um indivíduo viver dentro de um mundo de fantasia, tornando-o alguém que é despertado sexualmente por pessoas, situações e coisas que não existem de fato. A pornografia faz com que o corpo de alguém responda a expectativas não reais, envenenando sua mente e, consequentemente, seu coração.

Eu sei que, como cristãos, nós tendemos a colocar a lascívia no topo da lista de pecados. Na comunidade em que eu cresci, filmes e programas de TV com qualquer sinal de cena de sexo eram colocados em uma lista negra.

Mas e se a nossa resposta emocional também fizer parte da nossa integridade sexual assim como a nossa resposta física?

E se nós focamos tanto na lascívia física que nós falhamos em reconhecer o papel da  lascívia emocional?

Porque o mesmo veneno (da pornografia sexual) também pode impactar o nosso mundo emocional.

E se o que estamos assistindo tem alimentado o nosso coração com expectativas mentirosas, causando em nós uma vida em um mundo de fantasia que impactará os nossos relacionamentos na vida real?

E se os filmes, livros e programas de televisão que estão nos entretendo, na verdade tem nos deixado emocionalmente excitados por pessoas, situações e coisas que não são reais?

E se nós estivermos criando expectativas irreais e nada saudáveis de amor e romance devido ao que chamamos de entretenimento?

Talvez seja hora de reconsiderarmos as coisas que nós permitimos que entrem na nossa mente e influenciem os nossos corações. Talvez seja hora de analisarmos as coisas nas quais temos mergulhado e nos perguntarmos quais anseios temos tentando saciar com estas coisas. E se estamos saciando-os de maneira saudável.

É um anseio por intimidade? Por amor? Por afirmação?

O maior perigo de ambos, pornô emocional e sexual, é que quando vivemos dentro de um mundo de fantasia, nós nos preparamos para falharmos no mundo real.

Quando vivemos em um mundo de fantasia, nós paramos de viver de fato.

Nós começamos a redefinir os padrões de amor e afeição com o uso de uma régua que parte da lascívia e do prazer. Nós começamos a esperar coisas não saudáveis e irreais de nós mesmos e de nossos companheiros… e, pouco a pouco, começamos a afundar em um crescente desencorajamento e descontentamento com a realidade.

É como tentar saborear um pedaço de fruta depois de devorar uma torta. De repente, o que costumava ser doce perde a sua doçura. O que costumava ser satisfatório, perde a sua habilidade de saciar. O mundo real passa a ficar sem graça. E no final, assim como você não pode sobreviver de guloseimas, você nunca viverá abundantemente no mundo de fantasia.

A realidade sempre vencerá.

Amigos, vocês foram criados para aproveitar os prazeres emocionais e sexuais dentro de seus contextos na vida real e dentro de relacionamentos reais. Não prejudique as sensações dadas por Deus por prazeres momentâneos e expectativas irreais.

Você foi feito(a) para muito mais do que isso.